Página en español    

X EMLA - Palestras

MENSAGEM FINAL

“BEM-AVENTURADOS OS QUE TRABALHAM PELA PAZ” (Cf. Mt 5,9a)

A todas as filhas e filhos de São Bento na América Latina e Caribe! Queridas irmãs e irmãos:

Ao término de nosso X Encontro Monástico Latino-americano e caribenho, saudamos a todos com as palavras do Apóstolo: “Que a paz de Deus guarde seus corações em Cristo Jesus” (Cf. 2Cr 13,11; Col 3,15).

Congregados pelo Senhor, escutamos novamente a bem-aventurança evangélica: “Felizes os que trabalham pela paz, porque serão chamados filhos e filhas de Deus” (Cf. Mt 5,9). Porém, também com Jesus, “vimos as multidões” (Cf. Mt 5,1a), contemplamos os sofrimentos dos irmãos e irmãs de nossos países, afligidos pela violência, pela injustiça, pelo empobrecimento acelerado e crescente, pela corrupção e polarização política. Animados pelas suas lutas e esperanças, escutamos também, agradecidos: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados” (Mt 5,6).

Um novo impulso do Espírito do Senhor foi para nós a palavra animadora do Magistério da Igreja e o testemunho de muitos irmãos e irmãs que, mesmo ao preço da própria vida, foram construtores da paz. Eles nos recordam, com sua entrega, que a paz brota da justiça, que é presença e dom de Deus, mas também implica numa tarefa árdua, tanto individual como comunitária. A paz não é uma ausência de conflito, mas vivenciá-lo com um espírito de diálogo, verdade e reconciliação.

Nosso encontro em Belo Horizonte foi uma moção do Espírito para que a vida monástica entregue o dom insubstituível que o Senhor faz à Igreja latino-americana e caribenha com este carisma particular: que faz os filhos e filhas de São Bento construtores e transmissores da Paz, discípulos e missionários de Jesus Cisto para que “nossos povos tenham vida n’Ele” (Cf. Jo 10,10).

Convidamos, pois, a todos os irmãos e irmãs, a colocarmos nossos passos no caminho da paz: que vivendo de acordo com a vocação para qual fomos chamados, sem “nada antepor ao amor de Cristo” (RB 4,21), no louvor contínuo, na escuta atenta da Palavra, no trabalho e na acolhida, deixemos o Espírito pacificar nossos corações e consolidar a comunhão em nossos mosteiros e comunidades; esforcemo-nos para atingir aquela paz estável que nos assemelha a Deus e nos abre à visão de sua Face.

Para que a paz de Deus resplandeça em nossas comunidades e anime a esperança de nossos povos desejamos que:

  • nosso silêncio nos abra à escuta de todos os homens e mulheres e nos permitam agradecidos acolher a diversidade como riqueza;
  • nossas hospedarias continuem sendo espaços de encontro e reconciliação;
  • nossas comunidades, fiéis ao Evangelho e à tradição monástica, continuem estimulando o ecumenismo e o diálogo inter-religioso;
  • nossa comunhão de vida, na simplicidade e na solidariedade com o povo pobre, possa oferecer uma alternativa ao modelo da sociedade atual, essa fundamentada em relações de competição, de exclusão e individualismo;
  • nossa sobriedade no uso dos bens e no cuidado da natureza como “vasos sagrados do altar” (Cf. RB 31,10), seja uma resposta ao consumismo e aos atentados violentos contra a mãe terra e a todo o ecossistema.

Inspirados em Paulo VI proclamamos que os “homens e mulheres recuperados para si mesmos pela disciplina e acolhida monásticas, são homens e mulheres recuperados para a Igreja e a sociedade”.

“UT IN OMNIBUS GLORIFICETUR DEUS” (RB 57,9)

X EMLA, Belo Horizonte - MG, 06-13 de novembro de 2006.

Dom Abade Edmilson Amador Caetano, OCist
Abade do Mosteiro de São Bernardo – São José do Rio Pardo
Presidente da UMLA
2002-2006


« retornar à página anterior


página inicial  .  contato  .  topo da página